Blog da Eduvir

A sessão vai começar – Missão Impossível – Efeito Fallout

O cinema é uma das artes que mais possuem gêneros. Osfilmes de ação e aventura, por exemplo,são caracterizados por cenas com mais imagens e movimentos do que com palavras e diálogos.Entretanto,essas categorias devem ser capazes de transmitir algo sobre a personalidade dos personagens e as circunstâncias em que se encontram. Com esse olhar, achei interessante conversarmos sobre a personalidade de Ethan Hunt (Tom Cruise), o personagem protagonistade todos os filmes Missão Impossível, estabelecendo uma correlaçãocom aTeoria da Autodeterminação (Self Determination Theory), desenvolvida pelos PhDs Edward L. Deci e Richard M. Ryan, da Universidade de Rochester,em Nova Iorque (EUA). A Teoria da Autodeterminação(SDT) propicia um amplo quadro para o estudo da motivação humana e personalidade. De acordo com Ryan e Deci, aSDT realça a importância dos recursos próprios do ser humano e a relevância de satisfazertrês necessidades psicológicas básicas e inatas que são: Necessidade de Competência – Refere-se à necessidade de ser eficaz e realizar as ações propostas. Necessidade de Vínculo – Refere-se à necessidade de ter relacionamentos significativos. Necessidade de Autonomia –Refere-se à necessidade de as pessoas viverem de acordo com os seus valores e podendo executar as suas atividades com liberdade. De que forma a personalidade de Ethan Hunt estaria relacionada a essa teoria? Necessidade de Competência -O protagonista dos filmes Missão Impossível exerce suas funções com extrema eficiência e sempre realiza as missões que lhe são propostas. Necessidade de Vínculo – Ethan valoriza a equipe e tem vínculos fortes com ela. Neste último filme,Missão Impossível – Efeito Fallout, a missão inicialque lhe foi destinada falhou, pois Ethanoptou por salvar um membro da sua equipe, o personagem Lutero. Necessidade de Autonomia -Ainda no...

Os “novos” pais. O papel do pai ocidental no século XXI

A Enfoque e seus parceiros realizaram pesquisas no Brasil e na Europa sobre o papel do homem como pai nos dias de hoje e tivemos alguns aprendizados. Ainda que as mães e pais das novas gerações desejem cuidar de seus filhos de forma cooperativa, a realidade impõe sacrifícios a este desejo. O que vai de fato delinear o perfil do “novo pai” e a divisão de cuidados parentais é o tempo disponível – dele – para se dedicar aos filhos. Estas limitações de tempo nos permitiram identificar três diferentes perfis de pais, que implicam diferentes “rituais” na forma de exercitar seus outros papéis na casa. Eles são: um “paiexpress”, um “pai mão na massa” ou um “pai CEO”. O “paiexpress” é aquele que trabalha muitas, muitas horas por dia. A mãe acaba sendo a principal cuidadora das crianças. Assim, quando ele está com as crianças, o tempo tem que ser muito bem aproveitado e ele tende a usar este tempo paparicando os filhos e brincando com eles. O “pai mão na massa” trabalha tanto quanto a mãe e eles dividem os cuidados das crianças. Quando ele está com os filhos, quer fazer tudo “do seu jeito”. Ele tende a “gamificar” as tarefas cotidianas com os filhos, tais como alimentar, vestir, dar banho, transformando-as em pequenas diversões e, assim, em pequenas vitórias cotidianas. O “paiCEO”é o principal cuidador dos filhos, já que a mãe é a principal provedora e trabalha em tempo integral, por muitas horas. O desafio pessoal deste pai é conservar a própria identidade. Ele necessita fazer algo para si mesmo, precisa ter algumas formas de escapar da...

A Sessão Vai Começar – Festival Varilux de Cinema Francês

Mencionei na última sessão que, em junho, realizou-se no Rio o Festival Varilux do Cinema Francês onde vi vários filmes dessa mostra. O cinema é um veículo de comunicação que nos oferece uma tonalidade de olhares para cada cena apresentada. Isso me levou a pensar sobre questão da dinâmica da Percepção e como ela influencia a Comunicação. A percepção é o processo em que cada pessoa elege, organiza e estrutura os fatos e situações conforme as suas crenças, valores, sentimentos e vivência pessoal. Por isso, ela tem um papel fundamental na decodificação da mensagem, pois, por mais objetiva e real que seja a mensagem, a sua interpretação será filtrada pela subjetividade e emoção do receptor. Qualquer experiência a que sejamos submetidos tem que ser estruturada por nós, afim de ganhar um significado. Verificamos que todos nós temos diferentes formas de vivenciar as experiências e, assim, fazemos diferentes interpretações a respeito do que foi comunicado. Portanto, se a Percepção é um fator que influencia de forma determinante a comunicação, esse processo pode melhorar se levarmos em conta dois questionamentos: O que o interlocutor quer dizer além do que está explicitamente sendo comunicado? Qual é o seu intuito ao abordar tal assunto desta ou de tal maneira? Por fim, só podemos compreender o que está sendo dito se formos capazes de aceitar as diferentes percepções dos nossos interlocutores, pois o outro também tem a sua forma de olhar o mundo. Logo ao entender que a comunicação será sempre influenciada pela dinâmica da Percepção é necessário estarmos atentos a esta questão no nosso dia a dia seja na área profissional ou social. Os filmes...

A Sessão Vai Começar – A Busca do Chef Ducasse

O festival Varilux do Cinema Francês 2018 foi realizado no Rio de Janeiro entre os dias 7 e 20 de junho. Nesse período, foi exibida uma variedade de gêneros, como drama, comédia, suspense, terror, animação, ficção científica e documentário. Tive a oportunidade de ver vários filmes dessa mostra e escolhi o documentário A Busca do Chef Ducasse (La Quête d’Alain Ducasse), dirigido por Gilles Maistre, para conversarmos. Através da câmera do diretor, esse documentário nos leva a uma deliciosa viagem ao redor do mundo. O filme parte da construção do mais novo empreendimento do chef Ducasse, em Versalhes (França), percorre seus 23 restaurantes em vários países, passa pela escola de culinária Ducasse Institute Philippines, em Manila (capital das Filipinas), e inclui uma visita aos seus inúmeros fornecedores internacionais, inclusive um deles no Brasil. No estado da Bahia, o chef acompanha o processo de colheita do cacau e, no Rio de Janeiro, o projeto o Refeittorio Gastromotiva, restaurante comunitário que reaproveita alimentos que seriam descartados nos supermercados. No Gastromotiva, inclusive, Ducasse cozinhou com o consagrado chefe italiano Massimo Bottura. Nessa jornada gastronômica o meu olhar focou no seguinte tema: Liderança Transformadora. Ao longo do documentário, Alain Ducasse demonstra, através de exemplos reais, a importância de explicitar o propósito e o significado do seu trabalho, que é o de inspirar e engajar as pessoas. Com 23 restaurantes em vários lugares do mundo, observamos nitidamente a autonomia que Ducasse dá aos seus chefs, ou seja, ele usa uma das mais importantes ferramentas motivacionais de liderança que é delegar. Na verdade, quando se delega, a responsabilidade é toda do líder. Porém, ele deverá...

A Sessão Vai Começar – Gringo

Este mês, como em todos os anteriores, vi vários filmes. Nas nossas  sessões,meu olhar estava sempre voltado para algum tema que observo e que possamos conversar. Mas, desta vez, fiquei em dúvida sobre a escolha do filme em questão e se iria abordar o assunto que ele me fez refletir. Então, depois de ver outros filmes conclui que deveria levar adiante a reflexão que vou abordar. O filme escolhido foi Gringo, comédia sombria que explora a batalha pela sobrevivência de Harold Soyinka (David Oyelowo), um supervisor de Operações de uma empresa farmacêutica chamada Promethium. Harold fica sabendo de uma fusão de sua companhia que pode colocar sua carreira em risco e, ao mesmo tempo, descobre que seu amigo Richard (Joel Edgerton), o presidente da empresa, não iria lhe contar nada sobre essa operação. Richard se une à vice-presidente da corporação, Elaine (Charlize Theron), uma executiva que age sem escrúpulos para obter ganhos na carreira, numa série de negócios escusos na fábrica da Promethium no México. A dupla estava desviando dinheiro da corporação para um cartel de drogas mexicano. Ao surgir um parceiro para a fusão, seria necessário interromper essa atividade ilícita. Então, enviaram Harold àquele país, já que ele era o gestor da fábrica, para colocar a contabilidade em ordem. Durante a viagem, Harold descobre que está prestes a perder o emprego e a esposa para um amante, que é Richard, seu amigo. Pessoalmente e profissionalmente humilhado, e sem nada a perder, Harold encena seu próprio sequestro, a fim de enganar os patrões e receber US$ 5 milhões do seguro da empresa. Harold se vê cruzando a linha do...

A Sessão Vai Começar – Um Lugar Silencioso

Em março em vez da nossa sessão mensal, celebramos o Dia Internacional da Mulher apresentando o estudo da Dra. Barbara Fredrikson, da Universidade da Carolina do Norte – EUA sobre a Positividade e as Emoções Positivas. Este mês estou de volta com o tema Comunicação que já abordei em fevereiro sobre a ótica do poder da comunicação não–verbal através do filme “A Forma da Água” que aliás ganhou o Oscar de melhor filme e direção. E escolhi o filme “Um Lugar Silencioso” que se tornou um sucesso de bilheteria nos Estados Unidos desde seu lançamento em princípio de abril. É um filme de suspense e terror sobre uma família forçada a viver em silêncio absoluto para que não sejam devorados por criaturas alienígenas com a audição sobrenaturalmente aguda. Os monstros se guiam apenas pela audição. O expectador passa a conviver neste mundo onde os seres humanos são obrigados a serem “mudos“ sempre prestando atenção em qualquer ruído e as criaturas que utilizam somente um dos cinco sentindos que é o Ouvir. Como já tinha abordado a questão da comunicação não–verbal o meu olhar com este filme foi para o tema da habilidade de ouvir.  Ouvir é a habilidade mais negligenciada na comunicação. Saber ouvir exige quase sempre esforço reeducativo, pois somos muito mais condicionados a falar e só ouvir o que julgamos ser do nosso interesse. É fundamental “saber ouvir” para poder “saber falar”. Quando ouvimos atentamente uma pessoa, estamos na verdade escutando duas partes distintas de sua mensagem: Em primeiro lugar: estamos prestando atenção nas palavras, isto é, no conteúdo da mensagem. Em segundo lugar: estamos prestando atenção no...

Celebrando o Dia Internacional da Mulher com Emoções Positivas

Seriam tantas os temas que poderia abordar para falar neste 8 de março quando celebramos um dia tão belo que é “O Dia Internacional da Mulher”. Logo, lembrei do estudo da Dra. Barbara Fredrikson, pesquisadora do laboratório de Emoções Positivas e Psicologia da Universidade da Carolina do Norte – EUA. No seu livro Positivity (Three Rivers Press, 2009) ela nos convida a conhecer o conceito de Positividade que como ela menciona pode vir em vários formatos e tamanhos.Ela explora o tema através de 10 emoções positivas que foram identificadas na sua pesquisa pois são as que mais brilham no diaadia da vida das pessoas. Da lista abaixo vocês saberiam dizer quais seriam as 10? Realização Orgulho Satisfação Humor Admiração Confiança Vibração Divertimento Gratidão Carinho Interesse Serenidade Encantamento Gentileza Realização Otimismo Generosidade Inspiração Compaixão Alegria Bravura Amor Afeição Solidariedade Divertimento Esperança Harmonia Vitalidade São todas emoções incríveis mas as 10 Emoções Positivas do estudo da Dra.Fredrikson, são estas que estão em ordem pela frequência que elas apareceram ao longo da pesquisa. ALEGRIA GRATIDÃO SERENIDADE INTERESSE ESPERANÇA ORGULHO DIVERTIMENTO INSPIRAÇÃO ENCANTAMENTO AMOR É importante ressaltar que o AMOR aparece no final pois é a emoção que reúne todas as outras. Então, das 10 emoções mencionadas a que floresceu em mim hoje foi o ORGULHO. Dedico esta emoção a todas as mulheres do mundo que trilhamum sentido de propósito e significado expandindo o potencial para fazer coisas maiores em prol de todos. Um maravilhoso...

Desnaturalização do Olhar

Dia Internacional da Mulher. Muitas felicitações e um longo caminho de desenvolvimento a seguir. Como mulher, como humanidade. Para todos, homens e mulheres. O tema que escolhi para celebrar o dia é a desnaturalização do olhar. O que é isso? É refletir sobre o que vivemos no dia a dia, observando os comportamentos e atitudes (nossos e dos outros), assumidos como naturais (normais). Como falamos, ouvimos, pensamos… O que é natural? O que é normal? Ficamos acostumados a uma forma de ver, ouvir e interagir com o mundo, que aprendemos na escola, na família, na sociedade. Ao usar o “o” como uma forma de incluir os vários gêneros, desperto minha atenção para o fato de que usamos o masculino quando nos referimos ao plural de um conjunto de pessoas, mesmo quando a maioria são mulheres. Como desperto essa atenção na fala? Quem determinou isso, no curso da história? Segundo relatório da ONU, que pode ser consultado no link a seguir, https://esa.un.org/unpd/wpp/Publications/Files/WPP2017_KeyFindings.pdf, somos em torno de 7,6 bilhões de habitantes, com uma distribuição praticamente igual entre homens e mulheres. Assim como a questão do plural, deixamos de observar o tratamento que recebemos das pessoas que estão ao nosso redor, sejam homens ou mulheres…. Quando vi, no aeroporto, a divulgação do aplicativo Women Interrupted, http://www.womaninterruptedapp.com/pt/, que detecta a Interrupção Masculina em conversas do dia a dia, fiz essa reflexão. Será que os homens não são interrompidos? Também! Principalmente, se pertencerem ao espectro LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros/transexuais e intersexuais)… Como vivemos em uma sociedade predominantemente patriarcal, é mais provável que os comportamentos a seguir aconteçam com mulheres:Manterrupting, Bropriating, Mansplaining, Gaslighting.Independentementese você...

Dia Internacional da Mulher: uma Reflexão!

Dia 8 de março. O que nós mulheres temos a lembrar, a celebrar? Certamente muito. Avanços contínuos e incessantes em termos de inclusão, em todas as áreas das atividades humanas, sempre em movimento… (alguns dizem que desde a Revolução Francesa/Iluminismo.) Mudamos e somos mudados cotidianamente quando na relação com nossos pares e com o ambiente que nos cerca. Não estagnarmos é de fato uma meta. Isto vale para todos. Pessoalmente não sou afeita às comemorações deste dia. É que me dá uma sensação de “coisificação” … penso: tanto foi feito para não mais ocuparmos esse lugar, não é?  Mas se é para celebrarmos a vida e suas mudanças, contem comigo. Sempre. E aqui estamos: mulheres, parceiras, empresárias, mães, presidentes, amigas, funcionárias, avós, sonhadoras, donas de casa… enfim: donas de nossos narizes, na medida do possível, naturalmente. Adoramos estar com outros, de  acrescentarmos valor por onde passamos.  Mas isto não nos define. LIBERDADE, esta me parece ser a palavra com a qual mais nos identificamos hoje. Psicanalista que sou, convido meus mestres… Freud já no final de sua vida teria confidenciado à sua amiga e discípula Marie Bonaparte: “A questão que nunca foi respondida e que eu ainda não tenho sido capaz de responder, apesar de meus trinta anos de pesquisa sobre a alma feminina é: o que quer uma mulher?” À esta reflexão, Lacan acrescenta  sua polêmica e deliciosa  afirmação/ provocação: “A mulher não existe”… Isto tudo para nos dizer  o que, me parece, Freud já teria indicado de certa forma: O conceito de “A” mulher de fato não existe, porque nós mulheres  temos a capacidade de sermos uma a...

Mitos e verdades sobre o câncer

Com o diagnóstico do câncer vem uma série de dúvidas sobre o seu comportamento, prognóstico e tratamento. É necessário desmistificar alguns mitos e verdades sobre o câncer em geral. O Câncer é contagioso. Mito – O câncer não é contagioso, seu surgimento geralmente está relacionado a uma série de fatores ambientais e comportamentais do indivíduo. Alguns tipos de câncer podem ser prevenidos com a adoção de medidas simples, como é o caso do câncer de colo uterino relacionado à infecção pelo vírus HPV. A utilização de preservativo (camisinha) pode evitar a infecção pelo vírus HPV. Todo câncer é hereditário. Mito – Apenas 5 a 10% dos casos de câncer são hereditários, a grande maioria (90 a 95%) dos casos são chamados de esporádicos. O câncer esporádico está relacionado ao estilo de vida do indivíduo (hábitos alimentares, prática de esporte / sedentarismo, tabagismo entre outros). Posso reduzir o risco de ter câncer adotando hábitos saudáveis de vida Verdade – Atualmente sabemos que a adoção de um estilo de vida saudável, com a realização de atividade física diária, redução da obesidade, boa alimentação (rica em frutas, legumes e verduras, pobre em alimentos industrializados e embutidos) e ausência de tabagismo podem levar a redução significativa no risco de desenvolvimento do câncer em geral.  Tabagismo causa apenas câncer de pulmão.  Mito – Considerado a principal causa de morte evitável pela Organização Mundial da Saúde (OMS), O tabagismo além de ser causa de diversas doenças respiratórias e cardiovasculares, também é um fator de risco importante para o desenvolvimento de câncer em vários órgãos, como: pulmão, boca, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga,...