Blog da Eduvir

Google: cuidar da saúde é prioridade para brasileiros em 2021

Pesquisa feita pela empresa de busca revela maior preocupação com bem-estar e forma física   Diante dos contratempos impostos pela pandemia em 2020, a Google perguntou aos brasileiros: quais são as suas prioridades para 2021? A pesquisa foi feita em outubro de 2020 e entrevistou 1.000 brasileiros entre 18 e 64 anos. O resultado da pesquisa foi recém divulgado e é animador. Em primeiro lugar nas respostas, com 35%, aparece cuidar da saúde. Logo em seguida, com 26%, o brasileiro afirma que pretende emagrecer e fazer exercícios. Ambas as respostas aparece a frente até de alternativas mais compreensíveis depois de um ano tão difícil, como “aprender uma nova língua” (24%), “investir meu dinheiro” (23%) ou “comprar um automóvel” (19%). Na busca por mais saúde, emagrecimento e exercícios, os entrevistados afirmam que entre os principais serviços que irão procurar em 2021 estão academia de ginástica (24%) e consultas médicas (8%). Aqui vale um destaque: é interessante que o Google, conhecido como “o senhor de todas as respostas” e para onde muitos pacientes correm em busca de respostas, reconheça a importância de uma consulta médica profissional e especializada para a saúde das pessoas. O concreto é que cuidar da saúde, emagrecer, praticar exercícios, realizar consultas médicas e fazer exames periódicos é uma fórmula perfeita para uma vida com mais qualidade, uma “vacina natural” que previne de doenças crônicas perigosas, como a diabetes, a pressão alta ou complicações respiratórias. O Brasil, infelizmente, coleciona tristes estatísticas: somos o 5o país em incidência de diabetes no mundo e a hipertensão faz parte da vida de 60% dos nossos idosos. Torço para que a pesquisa...

Gratidão pra recomeçar

Alguns de nós chegamos ao final de 2020. Nem todos tiveram a mesma sorte ou destino. Começamos o ano com as perspectivas e os pensamentos que os inícios nos trazem: esperanças, sonhos, desejos, planos… No Carnaval, já recebíamos notícias do vírus se espalhando na Itália e na Espanha, e pensamos que, separados por um oceano estaríamos protegidos. Não demorou muito. Pelo ar, o vírus viajou até nós. E, em três semanas, começou o isolamento social no Brasil. Foi um ano de adaptação, sentimentos, perdas, ganhos. Este ano aconteceu, ponto. Resisto à ideia de apagar 2020 da minha vida. Ao lado das tristezas e luto pelas perdas dos/das amigos/as, está o mergulho que fiz para dentro de mim (Eu, Caçadora de Mim; lembrando da música de Sergio Magrão e Luiz Carlos Sá, imortalizada na voz de Milton Nascimento). O tempo no transporte para chegar e sair do trabalho transformado em tempo de interiorização, de meditação… A conclusão da pós graduação com a entrega do trabalho de conclusão de curso (TCC)… o aprendizado e a realização de diversas Lives para compartilhar conhecimentos… um livro lançado (capítulo sobre CNV) e um capítulo escrito para outro livro (carreira e longevidade) … as rodadas de 21 Dias de Meditação (21-Day Meditation Experience, app no Google Play) gratuitas, oferecidas pelo Chopra Center Meditation, com Deepak Chopra e Oprah Winfrey. E muito mais… O médico Deepak Chopra, autor de diversos livros e especialista em medicina alternativa, afirma que a prática da gratidão pode nos trazer benefícios nos âmbitos físico, social e psicológico. No físico, a gratidão fortalece nosso sistema imunológico, melhora o sono e nos traz...

6 dicas para um 2021 mais saudável

Se o ano de 2020 foi dominado pelo assunto coronavírus, não resta dúvida que passaremos boa parte de 2021 ouvindo falar sobre as tão esperadas vacinas. No entanto, para muitas doenças já existe uma “vacina natural”, acessível a todos: um estilo de vida saudável. Ele melhora a imunidade, sem dor, sem efeito colateral, na dose certa, é democrático e pode ser praticado por qualquer pessoa. Um estilo de vida saudável representa 73% das chances de longevidade de um indivíduo. Compartilho abaixo algumas dicas de como ter um 2021 saudável. 1) Alimentação saudável – A alimentação equilibrada previne doenças, retarda o envelhecimento e melhora o humor. Dê preferência aos alimentos in natura ou minimamente processados, como frutas, verduras, legumes, tubérculos ou raízes, oleaginosas, carnes, ovos e grãos. Diminua o consumo de sal e açúcar e mantenha-se sempre hidratado. 2) Praticar exercícios físicos – A prática de exercícios fortalece a imunidade, previne doenças cardiovasculares, pois reduz a tensão arterial e o colesterol, aumenta a energia, além de ajudar a manter o peso saudável, a controlar o estresse e manter a boa saúde mental. 3) Boa noite de sono – Segundo pesquisas, 75% dos brasileiros apresentam queixas em relação ao sono. O sono adequado é responsável por repor as energias e representa um dos segredos da longevidade. Dormir bem também ajuda a controlar o estresse, já que o organismo equilibra a produção dos hormônios cortisol e adrenalina e aumenta o da melatonina, que melhora o sono. Evite beber café, álcool poucas horas antes de se deitar. O uso de aparelhos eletrônicos na cama antes de dormir, como celular, televisão e computador, também...

2020: o ano em que a saúde foi prioridade

Pandemia serviu de alerta para os cuidados na prevenção de doenças   Há 30 anos trabalho para promover o conceito de que prevenção é saúde. Ao lado de uma alimentação equilibrada, controle de peso, sono reparador e prática de exercícios físicos, fazer exames de rotina e interpretar os sinais enviados pelo corpo é uma das mais poderosas e eficientes formas de cuidado consigo mesmo e, por consequência, com aqueles que amamos. Há décadas afirmo que um estilo de vida saudável afasta o risco de doenças crônicas. A alimentação equilibrada retarda o envelhecimento e melhora o humor; a prática de exercícios fortalece a imunidade, auxilia no controle do estresse e do peso, o sono reparador repõe as energias necessárias ao corpo e melhora o bem-estar geral e os check-ups médicos periódicos contribuem na correção de eventuais fatores de risco para a saúde quando dos exames preventivos. Estudo publicado pela Associação Médica Americana mostrou que esses hábitos, adotados em conjunto, respondem por uma redução de 80% no risco de desenvolvimento das doenças crônicas mais comuns. Inesperadamente, todos estes ensinamentos foram repetidos como mantras em 2020. Se a pandemia de Covid-19 atingiu a todos, não há dúvida que foi mais grave para aqueles que sofriam de alguma comorbidade. Pesquisa da Fiocruz recém-divulgada estima que um em cada três brasileiros adultos, ou seja, cerca de 50 milhões de pessoas, tem ao menos um dos cinco fatores de risco que podem agravar a Covid-19: diabetes, hipertensão, doenças pulmonares, cardíacas, ou são idosos. Para 2021 temos a expectativa de uma vacina que detenha a transmissão do vírus. Porém, volto a afirmar que para muitas outras...

Limão ou limonada? Raiva ou agradecimento?

A colunista Betania Tanure fala sobre a oportunidade de se fazer escolhas e usar os aprendizados da crise para tomar novos rumos na vida pessoal e profissional   Exaustão, irritação, raiva, pressa. O isolamento social tem gerado nas pessoas uma vontade louca de mudar de ano, como se na virada, magicamente, a pandemia acabasse. Para alguns ela já acabou, errada e irresponsavelmente eu diria. Este poderá ser lembrado como um ano terrível, que fez aflorar o medo, a dor da perda de milhares de vidas. Um ano de viagens canceladas, aniversários não comemorados, casamentos adiados ou desfeitos, contratos rompidos, empresas fechadas, empregos perdidos. Ano em que a “cola” que une as pessoas às suas empresas se desgastou, pois, acredite, virtual não é real. Mas como tudo, 2020 não é apenas sombra, tem seu lado sol. Nos períodos de estabilidade o sol e as sombras são mais suaves, enquanto na crise o sol queima e as sombras vedam nossa visão a ponto de parecerem eternas. Não são. O medo de perder quem amamos nos fizeram olhar os mais velhos com maior cuidado e afeto. Forçadamente nos empurraram para perto da família, para “saborear” as nossas casas, ainda que para alguns a convivência tenha ficado insuportável. Mas é preciso viver esse medo para saber cuidar e compartilhar? Espero que você tenha feito dessa experiência a sua chance de mudar. Temos de olhar e decidir o melhor rumo a tomar. Nas empresas, é preciso compreender que não há mais espaço para a forma estabelecida de liderar. As competências que fizeram seu sucesso perderam valor. É preciso mudar e estar firme nos valores...

Um olhar holístico – Seis Recursos que geram Bem-estar

WOHASU®Foundation é uma organização internacional, sem fins lucrativos, com foco na educação para a felicidade e o bem-estar. Sua missão é criar uma comunidade global positiva, dedicada à implementação de ferramentas práticas baseadas em evidências da ciência da felicidade. Em 2018, tive a oportunidade de participar do “World Hapiness Summit” em Miami e, desde então, acompanho as publicações da fundação através do site www.worldhappiness.com. Na página inicial, somos presenteados com o infográfico “Um Olhar Holístico – Seis Recursos que Geram Bem-Estar”. São eles: “Mindfulness” – estabelecer uma consciência interior, com foco no momento presente. Focar a atenção no hoje, desligando o piloto automático, reduz o stress, aumenta a criatividade e performance. Física – praticar atividades que geram bem-estar físico. Aqui, vai uma dica de atividade que pratico e é extremamente diverdita: a dança rítmica. Logo, encontre uma atividade prazerosa e desfrute de seus benefícios. Propósito – encontrar significado na vida pessoal e profissional. O próposito está relacionado a encontrar o seu porquê. Declare o seu porquê. Comunidade – contribuir para a harmonia do ecossistema. Um olhar compassivo, onde o sentir e o agir estão conectados. Financeiro – desenvolver uma conscência financeira saudável. Uma amiga especializada em educação financeira, outro dia, comentou sobre o que ela chama de “3G’s”: ganhar, guardar e gastar, sendo este último com sabedoria. Social – criar, manter e sustentar relacionamentos interpessoais positivos. Aqui, citarei dois estudos: O de PhD Martin Seligman, mentor da Psicologia Positiva, onde dos 5 ingredientes que geram bem-estar um deles são “relacionamentos positivos”. O de “Harvard Study of Adult Development”, com mais de 75 anos de duração, relata que a melhor maneira...

Nova pesquisa do IBGE alerta sobre saúde do brasileiro

Dados sobre obesidade, depressão e consumo de álcool são preocupantes   O IBGE acaba de divulgar dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada em todo Brasil em 2019 e alguns números são alarmantes. O percentual de pessoas obesas em idade adulta no país mais do que dobrou em 17 anos, indo de 12,2%, entre 2002 e 2003, para 26,8%, em 2019. No mesmo período, a proporção da população adulta com excesso de peso passou de 43,3% para 61,7%, representando quase dois terços dos brasileiros. A pesquisa também quis saber sobre os hábitos de consumo de bebidas alcóolicas da população e a conclusão também foi surpreendente: 26,4% dos brasileiros adultos afirmaram ter bebido semanalmente em 2019 contra 23,9% em 2013. A consulta do IBGE comprovou o que já observamos em nossas clínicas, um crescimento de 4,1% do consumo entre as mulheres, levando a um salto de 12,9% para 17%. É importante ressaltar que o consumo de bebida alcoólica, de forma moderada e responsável, não oferece risco grave à saúde. No entanto, se tais precauções forem extrapoladas, há o perigo iminente de doenças hepáticas, neurológicas e cardíacas. O IBGE também coletou informações sobre a saúde mental do brasileiro: 10,2% das pessoas com mais de 18 anos receberam diagnóstico de depressão contra 7,6% em 2013. Ao todo, 16,3 milhões de pessoas têm depressão diagnosticada. As estatísticas sobre depressão, obesidade, consumo de álcool são alarmantes se considerarmos que elas se referem a um período anterior à atual pandemia, quando muita gente passou a beber mais, se exercitar menos, padeceu de transtornos mentais e negligenciou os cuidados com a saúde. Portanto, não é...

A Sessão vai Começar: O Professor Polvo

Nesta sessão, apresento mais um documentário indicado por uma amiga psicóloga com as seguintes palavras: “emocionante e sensível sobre a relação de um mergulhador e um polvo”. Fiquei muito curiosa e definitivamente encantada, após terminar de ver o filme. No dicionário, encantamento é definido como “a sensação de deslumbramento, admiração, grande prazer que se tem como reação a alguma boa qualidade do que se vê, ouve, percebe”. O Professor Polvo (My Octopus Teacher) narra a história de Craig Foster, durante uma temporada no Oceano Atlântico, na costa da África, numa floresta subaquática. Ao filmar suas experiências, se interessou por um polvo-fêmea e, acompanhando sua rotina encontra um mundo mágico onde a vulnerabilidade é exposta ao mesmo tempo que se estabelece uma relação de confiança entre os dois. Lembrei da obra “A Coragem de Ser Imperfeito” da Brené Brown, palestrante americana, premiada e autora de vários livros. Neste, há dois capítulos em que ela aborda a questão da vulnerabilidade. Achei instigante trazer para esta sessão o tema do capítulo 2, “Derrubando os Mitos da Vulnerabilidade”. De acordo com Brené Brown existem 4 mitos que envolvem a vulnerabilidade: Mito 1– “Vulnerabilidade é fraqueza” A vulnerabilidade é o centro de todas as emoções e sensações. Sentir é ser vulnerável. Quando estamos vulneráveis é que nascem o amor, a aceitação, a alegria, a coragem, a empatia, a criatividade, a confiança e a autenticidade. Mito 2 – “Vulnerabilidade não é comigo” Quando fingimos que podemos evitar a vulnerabilidade, tomamos atitudes que são, muitas vezes, incompatíveis com quem nós realmente desejamos ser. Experimentar a vulnerabilidade não é uma escolha é a única escolha que temos....

Novembro Azul: alerta contra o câncer de próstata

Doença tem grande chance de cura, mas preconceito precisa ser vencido   Há quase 10 anos, o mês de novembro é dedicado à prevenção de uma doença tão recorrente quanto possível de ser curada: o câncer de próstata. Segundo o INCA, 61 mil novos casos devem ser diagnosticados em 2020. Trata-se da segunda doença que mais mata homens no mundo. Tal cenário poderia ser bem diferente se a falta de informação, o preconceito e a vergonha não afastassem o público masculino de procedimentos simples, rápidos, indolores e fundamentais para identificar a doença ainda em estágio inicial. O diagnóstico precoce permite um grande leque de opções de terapia, que pode ser desde simplesmente observar os doentes, sem precisar fazer algum tratamento. Evitando as complicações das terapias mais agressivas, até nos casos de alto risco, a cirurgia e a radioterapia que são os tratamentos indicados. O percentual de cura para quem identifica precocemente o câncer de próstata chega a 90%. Por isso, no Novembro Azul diversas ações são intensificadas em todo o país na tentativa de conscientizar os homens quanto à importância de cuidar da própria saúde. Muitos homens ainda têm dúvida sobre qual é o exame mais eficiente para detectar a doença: se o de sangue ou o exame do toque. Se o paciente faz apenas um desses exames, a chance de falha no diagnóstico é de 20% e de 40%, respectivamente. Mas quando os dois são feitos ao mesmo tempo, o índice de falha no diagnóstico cai para 8%. No entanto, infelizmente ainda existem tabus que impedem que muitos homens se cuidem. Um dos mitos mais recorrentes é que o toque...

Qual é a vacina que vai mesmo nos “salvar”?

A colunista Betania Tanure diz que, mais do que adivinhar quando o ‘novo normal’ chegará, profissionais precisam cultivar o autoconhecimento e avaliar as atitudes frente ao outro.   Dúvida zero de que a primeira resposta intuitiva à pergunta-título é “a CoronaVac”, de origem chinesa, ou “a de Oxford”, Reino Unido, ambas em fase avançada. Mas não é delas que vamos tratar. Nosso tema é outro tipo de “vacina”. Inicio com um alerta sobre uma expressão muito usada e que me inquieta: “novo normal”. O termo revela a necessidade, muitas vezes inconsciente, de estabilidade, de algo que expulse as incertezas de nossas vidas. Receio ter de enfatizar que esse “novo normal” como símbolo de uma fantasiosa estabilidade não virá. Essa “vacina” não foi, nem será, produzida. Ao mesmo tempo, o fato de viver na incerteza absoluta e sob restrição de afeto social está enlouquecendo as pessoas. Muitas estão mais deprimidas, agressivas, irritadiças, exaustas e mais dependentes de bebidas alcoólicas e medicamentos. É o que nossas pesquisas revelam. Acostumar-se a viver só não se traduz em aprender com a solidão – e pode contribuir para o aumento do grau de egoísmo entre as pessoas. Mas, afinal, como nos imunizar contra esses males? Com a “vacina do autoconhecimento”. Não há modo mais efetivo de aprendermos a vencer o alto nível de exaustão e a irritabilidade que vivemos hoje. O problema é sempre o outro. O chefe, o colega, o parceiro afetivo… O autoconhecimento permite a cada um de nós fazer as escolhas corretas na vida, nos mais vários âmbitos. Temos de arregaçar as mangas e reaprender a liderar a nós mesmos, para...