Como foi o Congresso Internacional da Associação Americana de Desenvolvimento de Talentos

Como foi o Congresso Internacional da Associação Americana de Desenvolvimento de Talentos

Na semana de 19 a 24 de maio de 2019, tive a oportunidade de participar do Congresso Internacional da Associação Americana de Desenvolvimento de Talentos (CIAACT), em Washington, D.C. Compartilho com vocês pontos importantes abordados por dois fantásticos “keynote speakers” que foram Oprah Winfrey e Seth Godin: Oprah Winfrey, apresentadora, atriz e empresária, foi convidada para abrir o plenário, no primeiro dia. Entra no palco dizendo: “O que eu sei é que todos nós, compartilhamos uma linguagem comum que é a verdade. Queremos viver a mais verdadeira expressão de nós mesmos. Devemos seguir as nossas intuições, focar em boas lideranças e estar a serviço dos outros. Ela salientou seu erro quando não prestou atenção à sua intuição, e escolheu líderes inadequados. Adepta ao lema “estar à serviço dos outros” enfatiza que existimos para oferecer nossos dons e talentos para os outros e que as oportunidades de servir acontecem através de pequenas e grandes ações. No final do encontro, o CEO da Associação Americana de Desenvolvimento de Talentos perguntou à Oprah se ela tinha uma visão otimista em relação ao futuro e a resposta foi: ”eu tenho uma visão otimista do potencial humano em relação à bondade transcendendo o lado negativo.”

No segundo dia, foi a vez do escritor e empreendedor Seth Godin. Ele abre o plenário com a seguinte pergunta: “Você vai escolher fazer a diferença? ”. Destaca que, fazer um trabalho que gere interesse nas pessoas é o diferencial. Profissionais que trabalham com desenvolvimento de talentos devem fazer as mudanças acontecerem. Logo, “desenvolvimento é uma palavra bem diferente de treinamento” observou ele.O treinamento acontece num momento específico, enquanto o desenvolvimento é persistente e generoso pois ocorre várias vezes para as pessoas que buscam mudar”.

Godin destaca ainda que aprender é algo que escolhemos fazer, e fazemos com alegria. O modelo industrial, onde as pessoas precisavam ser treinadas para trabalhar na linha de montagem, se foi para sempre. Em vez disso, no mundo da internet, todo mundo é concorrente. Ele enfatiza: “É somente quando você oferece algo mágico é que pessoas vão até você“. Não devemos mais oferecer um produto tangível pelo preço mais baixo; é preciso oferecer um sentimento que agrega valor. Pergunta aos participantes: “Como você vai saber o que é mágico? Como criar este sentimento?”. Essa nova realidade requer líderes dispostos a terem um “mindset” com foco na seguinte indagação: “não tenho certeza como chegar lá então quem quer se juntar a mim nesta jornada para descobrir a melhor forma?” Finaliza afirmando que “para fazer a diferença é necessário estar disposto a voar mais alto e sempre com o foco em fazer melhor, sempre melhor”.

Ambas as palestras me fizeram sair do plenário com a certeza de que uma liderança eficaz, com ações focadas no desenvolvimento e o reconhecimento da importância do outro, gera organizações saudáveis e produtivas.

Continue acompanhando por aqui mais notícias sobre o maior Congresso de Desenvolvimento de Talentos.

A Sessão Vai Começar – As Duas Rainhas e O Gênio e o Louco

A Sessão Vai Começar – As Duas Rainhas e O Gênio e o Louco

Assisti à dois filmes que ainda estão no circuito: “As Duas Rainhas” e “O Gênio e o Louco”. Também participei de um workshop na Associação Brasileira de Treinamento Desenvolvimento cujo tema foi “Encontro de Propósito” e coincidência ou não a matéria de capa da Revista Exame da semana passada foi sobre “A Força do Propósito”. Achei que seria uma boa oportunidade para abordar de uma forma concisa o tema “Propósito”.

Os filmes contam histórias reais. “Duas Rainhas” relata o momento em que Maria Stuart retorna para a Escócia, sua terra natal, após o falecimento do seu marido, o Rei da França Francisco II. O objetivo de Maria é para recuperar o seu trono legítimo que estava sobre o domínio da Rainha Elizabeth I.

“O Gênio e o Louco” conta a verdadeira história dos dois homens por trás da criação de um dos projetos mais ambiciosos que foi a elaboração do dicionário inglês de Oxford.

Notoriamente, em ambos os filmes, é possível verificar o propósito de cada personagem.

O Porquê é o centro de tudo, em seguida definimos o Como e depois O quê. Tudo começa no Porquê. Propósito é saber o porquê de escolher determinada profissão, desenvolver determinado projeto, se engajar em determinada atividade, ou seja, é necessário dar um significado ao Porquê. A partir disso, sabemos onde estamos e decidimos o Como e O que. O Porquê é o passo fundamental para todas as pessoas que desejam aprimorar os próprios talentos e ajudar os outros nesse mesmo caminho.

O famoso escritor Americano Mark Twain escreveu: “Os dois dias mais importantes da sua vida são o dia que você nasceu e o dia em que descobre o Porquê”.

 

Até a próxima sessão!

Refletindo sobre o Trabalho em Equipe

Refletindo sobre o Trabalho em Equipe

Trabalhar sob pressão com colegas que pensam, sentem e vêem as coisas de maneira diferente pode ser estressante e produzir ansiedade. Se a situação persistir, aqueles que trabalham nestas condições provavelmente formarão crenças negativas que podem afastar as pessoas em vez de uní-las.

Os tópicos abordados abaixo auxiliarão na construção de bons relacionamentos no ambiente de trabalho. Dessa forma, nos momentos em que houver divergência de pontos de vista, o foco estará na tarefa e não nos indivíduos envolvidos.

ESPÍRITO COLABORATIVO

 Ter um espírito colaborativo significa acreditar que mais coisas podem ser realizadas trabalhando em conjunto do que individualmente . É necessário perceber que não se pode fazer tudo sozinho, daí a importância de aceitar a colaboração de outras pessoas para melhor desenvolvimento das tarefas. Todos trazemos um conjunto de habilidades e experiências distintas, que quando combinadas geram potencial para alcançar o objetivo em equipe.

RESPEITO MÚTUO

 Respeito mútuo significa aceitar e valorizar o que os outros trazem para as relações interpessoais. À primeira vista, o que alguém contribui pode não parecer tão importante em relação a sua contribuição. O que os outros oferecem, no entanto, é uma expectativa de como a tarefa pode ser realizada – algo que você não poderia saber a menos que você os convidasse a compartilhar o conhecimento deles.

Em todas as relações interpessoais existem múltiplas expectativas que precisam ser totalmente exploradas antes que qualquer ação seja tomada. O objetivo então é focar nos diferentes pontos de vista e não persuadir os outros a mudarem de ideia. Afinal de contas, você não pode mudar o que os outros pensam a menos que você primeiro entenda e aceite a base dos pensamentos dos outros. Uma abertura mútua das expectativas individuais é uma oportunidade para esclarecer a posição de cada um, desta forma é possivel compreender o que cada pessoa espera quando o trabalho efetivamente começa.

COMUNICAÇÃO PRODUTIVA

 A comunicação produtiva ocorre quando as expetactivas e intenções dos envolvidos são entendidas. Gestos de mão, tom de voz e postura corporal podem sinalizar que você não gosta de alguém ou está insatisfeito com alguma coisa. Até o silêncio transmite uma mensagem. O desafio é comunicar-se de uma forma em que as suas intenções são transmitidas sem deixar dúvidas quanto ao que você espera dos outros. Cetifique-se em relação ao o que você diz para não deixar dúvidas. Esclareça quanto vezes for necessário.

Construir relacionamentos baseados em confiança leva você a personalizar a tarefa e a objetivá-la. Lembrando, não é sobre você; é sobre o seu trabalho e como você executa as tarefas. A coisa mais importante é aprender como trabalhar em colaboração com os outros.

 

Fonte: Trechos do texto, do autor Tom Jones, publicado no ”Association for Talent Development Education Community”. Traduzido e adaptado por Gilda Palhares.

Desvendando a Felicidade no Trabalho

Desvendando a Felicidade no Trabalho

O livro “Desvendando a Felicidade no Trabalho” (Unlocking Happiness at Work) de Jennifer Moss baseia-se em duas décadas de pesquisas científicas com entrevistas e estudos de caso. O livro procura desmascarar o mito de que a felicidade no trabalho é um desperdício.

O livro apresenta sugestões de como a felicidade pode ter um forte impacto no ambiente de trablaho oferencendo um maior senso de propósito.

A autora fala sobre como ser mais feliz e tornar os outros mais felizes através do poder de hábitos saudáveis, da inteligência emocional e de uma abordagem inovadora.

O livro contém estudos de casos valiosos de empresas como The Body Shop, Misfit Inc., Zappos e Lululemon.

De acordo com Moss, estamos com olhar errado em relação a felicidade. Na opinião dela, a felicidade é uma escolha que devemos conscientemente fazer todos os dias. Moss infere que a sociedade foi vítima de falsas ideias quando se trata de felicidade. Esta felicidade segundo Moss é:

  • É intangível.
  • Não pode ser alcançada.
  • Não é algo que você deva perseguir.

Quanto mais buscamos a felicidade, mais difícil fica obtê-la. Felicidade, na opinião de Moss, vem depois de você trabalhar na construção de aspectos como resiliência, eficácia, otimismo, esperança, gratidão e compaixão.

Passamos muito tempo trabalhando logo deveríamos procurar maneiras de buscar a felicidade nos lugares que passamos a maior parte do nosso tempo.

Ações mais simples, repetidas a cada dia, têm a capacidade de alcançar resultados favoráveis. Conectar-se com seus colegas e tentar conhecê-los melhor pode ajudar muito na construção de um ambiente agradável.

Moss sugere que você use o horário de café para se socializar pelo menos uma vez por semana ou encontrar oportunidades para ir até a mesa de alguém com quem você não está familiarizado para dizer olá. Uma conexão rápida também pode levar a mais oportunidades de colaboração.

Também é importante adquirir o hábito de agradecer. Você pode fazer isso enviando uma mensagem rápida de agradecimento ou enviar mensagens de texto para alguém sobre um trabalho bem feito. Um pequeno elogio tem um grande impacto.

O livro nos encoraja a focar na criação de novos hábitos, um de cada vez. Embora isso possa demorar um pouco, de acordo com Moss, quando a felicidade é alcançada, os impactos positivos são sentidos quase que imediatamente.

Então, que tal utilizarmos um pouquinho do nosso tempo para refletir e criar novos hábitos para gerar mais bem estar no nosso ambiente de trabalho?

 

 

A Sessão Vai Começar – Capitã Marvel e Suprema

A Sessão Vai Começar – Capitã Marvel e Suprema

No dia 8 de março celebrarmos dia Internacional da Mulher. É o dia para lembrarmos das conquistas sociais, econômicos, políticos e culturais da mulher. O dia também marca a importância de acelerar a paridade dos gêneros.

Desta forma não poderia deixar de comentar dois filmes de gêneros diferentes que estão no circuito e que nos leva a refletir sobre mulheres que demonstram os seus pontos fortes desenvolvendo os seus talentos em prol de uma sociedade mais justa: Capitã Marvel e Suprema.

Capitã Marvel é um filme de ficção científica onde a heroína é basicamente indestrutível, superforte e resistente. Ela também pode voar, ultrapassando a velocidade do som, ler mentes e usa os seus poderes para ajudar os menos favorecidos.

Suprema uma história biográfica da vida de Ruth Bader Ginsburg, uma mulher engajada, que se forma em direito numa época em que poucas mulheres faziam um curso universitário. A vontade de fazer a diferença com o seu trabalho fez com que Ginsburg superasse as barreiras do preconceito contra as mulheres e tornou-se um símbolo da luta pelos direitos iguais. Ganhando reconhecimento quando é nomeada juíza da Suprema Corte dos Estados Unidos, pelo então presidente Bill Clinton.

Escolhi abordar nesta sessão o estudo descrito no livro “Descubra os Seus Pontos Fortes” dos autores Marcus Buckingham e Donald O Clinfton. Este estudo feito pelo Grupo Gallup identificou 34 tipos de pontos fortes presentes nas pessoas. Escolhi 10 que podem ser identificados nos filmes Capitã Marvel e Suprema:

1.Significância: Quer que o seu trabalho possua um significado.

2.Ativação: Aprecia a ação pois é vista como o melhor instrumento de aprendizagem.

3.Comunicação: Comunica-se com maestria. Atrai a atenção fazendo com que as pessoas gostem de ouvi-lo.

4.Imparcialidade: Trata as pessoas de forma igualitária não importando sua posição.

5.Estudioso: Adora aprender. Envolve-se constantemente em experiências de aprendizagem.

6.Autoafirmação: Tem confiança em suas habilidades.

7.Pensamento Estratégico: Capacidade em abrir caminho em meio à desordem. 8.Foco:Tem metas claras que servem de bússola.

9.Comando: Facilidade em liderar.

10.Realização: Possui um alto nível de energia e produtividade.

Focar nos pontos fortes, no que você tem mais aptidão e facilidade é uma estratégia utilizada pela maioria das pessoas bem sucedidas, ao invés de gastar energia tentando consertar fraquezas, pois levará muito mais tempo do que focar no que temos habilidade.

No livro “Descubra os Seus Pontos Fortes” os 34 pontos são descritos detalhadamente. Na contra capa do livro é possível acessar o site “Strengths Finder” com um código e efetuar o questionário descobrindo quais são os seus 5 maiores pontos fortes. Ficou curioso? Vai lá, faça o teste e me conte o que achou.

Até a próxima sessão.

 

Sucesso X Felicidade – O que é mais importante?

Sucesso X Felicidade – O que é mais importante?

O que é mais importante para você, felicidade ou sucesso? Segundo o psicólogo Daniel Gilbert, professor de psicologia em Harvard, a felicidade é o objetivo final de praticamente todas as decisões que tomamos na vida (Gilbert, 2010).

Gilbert sugere que o sucesso vai depender se uma determinada situação deu sensação de bem-estar, felicidade ou contentamento.

Nos últimos anos as pesquisas sobre o tema estão muito mais focadas no conceito de felicidade e o que realmente significa ser feliz.

Segundo a pesquisa feita por Sonja Lyubomirsky PhD.no livro “The Happiness Diet” (A Dieta da Felicidade) quarenta por cento das atitudes que nos tornam felizes estão ao nosso alcance.

Lyubomirsky estuda a felicidade há quase duas décadas e a sua pesquisa está liderando o estudo científico com base nas intervenções que podem ajudar a aumentar a felicidade humana.

Então temos que nos perguntar, o que vem primeiro – felicidade ou sucesso?

Nunca teremos 100% de certeza para dizer qual é mais importante mas sabemos que sucesso e felicidade estão diretamente ligados.

A Diferença Entre os Dois

Definir felicidade não é uma tarefa fácil. Todo mundo define de forma diferente. Algumas pessoas podem encontrar a felicidade em pequenas coisas como um dia na praia, encontro com a família, ser reconhecido no trabalho.

A Psicologia Positiva define uma pessoa feliz como alguém que sente emoções positivas com frequência , como alegria e orgulho, e emoções negativas não tão frequentes, como tristeza ou ansiedade. (Lyubomirsky et al., 2005).

A felicidade também está relacionada à satisfação com a vida, valorização da vida e momentos de prazer. Em geral, a felicidade esta relacionada às experiências que geram as emoções positivas.

Então definir sucesso também pode ser desafiador. No dicionário sucesso é definido como:

“O fato de obter ou alcançar riqueza, respeito ou fama.”

No entanto, essa definição não é completa em muitos aspectos. O sucesso é muito mais do que um mero sucesso financeiro, porque nos sentimos bem-sucedidos em outras áreas da vida, como no amor, nos relacionamentos com os amigos, na saúde, na atividade que exercemos e em várias outras situações.

Qual deles é mais importante?

Sucesso relacionado a riqueza financeira não significa necessariamente felicidade e segurança.

Se somos bem-sucedidos fianceiramente, mas infelizes na nossa vida pessoal não é bom. Se estamos vivendo ótimos momentos na nossa vida pessoal mas ainda lutando por sucesso ou com questões financeiras a serem resolvidas também não é bom.

De certa forma ambos os indicadores estão interligados. A felicidade afeta nosso grau de sucesso e nosso grau de sucesso afeta nossa felicidade.

 O sucesso traz Felicidade e Realização?

Richard St. John autor e especialista no tema Sucesso nos diz que o sucesso não é uma via de mão única, mas uma jornada constante. Em seu Ted Talk St.John fala sobre sua jornada pessoal de sucesso.

Para St John temos que estar constantemente desenvolvendo ideias novas e novas paixões. Também é necessário lembrar a razão pela qual começamos a fazer o que estamos fazendo.

Nos é ensinado que devemos atingir determinados marcos na nossa vida. Estudamos para sermos bons alunos, depois para entrar na faculdade, procuramos trabalhar no que gostamos e vivermos relacionamentos saudáveis. Esta busca de felicidade e sucesso continua por toda a nossa vida.

Entretanto existe um equívoco em achar que cada uma dessas coisas nos fará feliz. A verdade pode muito bem ser que nenhuma dessas situações estão relacionados com um algum grau de felicidade.

O que ocorre é que quando atingimos as nossas metas individuais nos sentimos felizes por um tempo. Eventualmente, descobrimos que precisamos estabelecer novas metas para alcançar um grau ainda mais alto de sucesso para obtermos a mesma sensação. Tudo isso nos leva a pensar: o sucesso traz felicidade e satisfação?

Poderíamos então eventualmente refletir sobre a ideia de que a felicidade não está de modo algum relacionada às metas estabelecidas e na realização delas, mas sim encontrar essa sensação de felicidade e alegria dentro de nós mesmos e em nosso dia a dia.

Se realmente pensarmos sobre isso, podemos supor que o sucesso não gera felicidade, mas a felicidade pode gerar o sucesso e podemos até atrair o sucesso com atitudes positivas.

Sabendo disso, também é importante avaliar algumas ações que somos capazes de praticar para nos sentirmos felizes no presente. Ações baseadas em estudos científicos tais como:

Expressar Gratidão – Você pode ser grato por muitas coisas, como sua saúde, seus filhos, sua casa, ou até mesmo o fato de que você tem o que comer.

Praticar algo Desafiador – Manter seu cérebro ativo praticando algo desafiador é estimulante. Aprender um idioma, tocar um instrumento ou fazer yôga. Tente fazer algo que você pode melhorar para desafiar a si mesmo.

Conectar-se com as Pessoas – Manter contato com outras pessoas é essencial para uma vida saudável. Não importa se é por telefone ou pessoalmente, apenas o ato de conectar-se nos ajuda a nos sentir melhor.

Não Procrastinar – Não ficar adiando atividades que devem ser realizadas. Fazer as coisas acontecerem nos ajuda a nos sentirmos proativos e orgulhosos.

Aguçar a Curiosidade – Nunca pare de aprender ou ser curioso! Ler um novo livro, assistir a um documentário ou ter conversas significativas pode ajudá-lo a se sentir melhor também.

Estar aberto a Novas Experiências – Estar aberto a novas experiências é divertido e encorajador.

Expressar Afeição – De acordo com Virginia Satir, respeitada terapeuta norte-americana, cada um de nós precisa de quatro abraços por dia só para sobreviver! Oito abraços por dia são sugeridos para manutenção e doze abraços por dia são sugeridos para o crescimento. Os abraços podem reduzir o estresse e elevar o nosso humor.

Ter Compaixão – Desenvolver a compaixão também é importante. Ter interesse nos outros e nas suas histórias gera bem-estar. Fazer pequenos atos aleatórios de bondade para pessoas que você não conhece ou aqueles que você ama e depois observe como isso faz você se sentir.

Fortalecer os Relacionamentos – Relacionamentos próximos significam mais do que dinheiro ou fama. Os relacionamentos são o que mantêm as pessoas felizes durante toda a vida. Esses laços importantes com outras pessoas nos ajuda a nos proteger dos descontentamentos da vida. Eles também nos protegem do declínio mental e físico.

 

Fonte:Trechos extraido e traduzido do texto ”Sucess Versus Happiness-What is more Importante?” de Leslie Riopel, publicado no site https://positivepsychologyprogram.com/