Coluna da Gilda

gilda_300x200Gilda Palhares  é graduada pela PUC-RJ em Comunicação Social e pós-graduada em Psicologia Positiva e Integração com Coaching pela Psi+ e AVM Faculdade Integrada e em Administração Empresarial pela UFF. Carreira desenvolvida durante 20 anos, na VARIG, atuando na área de RH em Educação Desenvolvimento. Especialista em desenvolver e ministrar programas de treinamentos comportamentais desde 2004 atua como consultora na Eduvir Consutoria.
A

Posts mais recentes


A sessão vai começar – Missão Impossível – Efeito Fallout

O cinema é uma das artes que mais possuem gêneros. Osfilmes de ação e aventura, por exemplo,são caracterizados por cenas com mais imagens e movimentos do que com palavras e diálogos.Entretanto,essas categorias devem ser capazes de transmitir algo sobre a personalidade dos personagens e as circunstâncias em que se encontram. Com esse olhar, achei interessante conversarmos sobre a personalidade de Ethan Hunt (Tom Cruise), o personagem protagonistade todos os filmes Missão Impossível, estabelecendo uma correlaçãocom aTeoria da Autodeterminação (Self Determination Theory), desenvolvida pelos PhDs Edward L. Deci e Richard M. Ryan, da Universidade de Rochester,em Nova Iorque (EUA). A Teoria da Autodeterminação(SDT) propicia um amplo quadro para o estudo da motivação humana e personalidade. De acordo com Ryan e Deci, aSDT realça a importância dos recursos próprios do ser humano e a relevância de satisfazertrês necessidades psicológicas básicas e inatas que são: Necessidade de Competência – Refere-se à necessidade de ser eficaz e realizar as ações propostas. Necessidade de Vínculo – Refere-se à necessidade de ter relacionamentos significativos. Necessidade de Autonomia –Refere-se à necessidade de as pessoas viverem de acordo com os seus valores e podendo executar as suas atividades com liberdade. De que forma a personalidade de Ethan Hunt estaria relacionada a essa teoria? Necessidade de Competência -O protagonista dos filmes Missão Impossível exerce suas funções com extrema eficiência e sempre realiza as missões que lhe são propostas. Necessidade de Vínculo – Ethan valoriza a equipe e tem vínculos fortes com ela. Neste último filme,Missão Impossível – Efeito Fallout, a missão inicialque lhe foi destinada falhou, pois Ethanoptou por salvar um membro da sua equipe, o personagem Lutero. Necessidade de Autonomia -Ainda no...

A Sessão Vai Começar – Festival Varilux de Cinema Francês

Mencionei na última sessão que, em junho, realizou-se no Rio o Festival Varilux do Cinema Francês onde vi vários filmes dessa mostra. O cinema é um veículo de comunicação que nos oferece uma tonalidade de olhares para cada cena apresentada. Isso me levou a pensar sobre questão da dinâmica da Percepção e como ela influencia a Comunicação. A percepção é o processo em que cada pessoa elege, organiza e estrutura os fatos e situações conforme as suas crenças, valores, sentimentos e vivência pessoal. Por isso, ela tem um papel fundamental na decodificação da mensagem, pois, por mais objetiva e real que seja a mensagem, a sua interpretação será filtrada pela subjetividade e emoção do receptor. Qualquer experiência a que sejamos submetidos tem que ser estruturada por nós, afim de ganhar um significado. Verificamos que todos nós temos diferentes formas de vivenciar as experiências e, assim, fazemos diferentes interpretações a respeito do que foi comunicado. Portanto, se a Percepção é um fator que influencia de forma determinante a comunicação, esse processo pode melhorar se levarmos em conta dois questionamentos: O que o interlocutor quer dizer além do que está explicitamente sendo comunicado? Qual é o seu intuito ao abordar tal assunto desta ou de tal maneira? Por fim, só podemos compreender o que está sendo dito se formos capazes de aceitar as diferentes percepções dos nossos interlocutores, pois o outro também tem a sua forma de olhar o mundo. Logo ao entender que a comunicação será sempre influenciada pela dinâmica da Percepção é necessário estarmos atentos a esta questão no nosso dia a dia seja na área profissional ou social. Os filmes...

A Sessão Vai Começar – A Busca do Chef Ducasse

O festival Varilux do Cinema Francês 2018 foi realizado no Rio de Janeiro entre os dias 7 e 20 de junho. Nesse período, foi exibida uma variedade de gêneros, como drama, comédia, suspense, terror, animação, ficção científica e documentário. Tive a oportunidade de ver vários filmes dessa mostra e escolhi o documentário A Busca do Chef Ducasse (La Quête d’Alain Ducasse), dirigido por Gilles Maistre, para conversarmos. Através da câmera do diretor, esse documentário nos leva a uma deliciosa viagem ao redor do mundo. O filme parte da construção do mais novo empreendimento do chef Ducasse, em Versalhes (França), percorre seus 23 restaurantes em vários países, passa pela escola de culinária Ducasse Institute Philippines, em Manila (capital das Filipinas), e inclui uma visita aos seus inúmeros fornecedores internacionais, inclusive um deles no Brasil. No estado da Bahia, o chef acompanha o processo de colheita do cacau e, no Rio de Janeiro, o projeto o Refeittorio Gastromotiva, restaurante comunitário que reaproveita alimentos que seriam descartados nos supermercados. No Gastromotiva, inclusive, Ducasse cozinhou com o consagrado chefe italiano Massimo Bottura. Nessa jornada gastronômica o meu olhar focou no seguinte tema: Liderança Transformadora. Ao longo do documentário, Alain Ducasse demonstra, através de exemplos reais, a importância de explicitar o propósito e o significado do seu trabalho, que é o de inspirar e engajar as pessoas. Com 23 restaurantes em vários lugares do mundo, observamos nitidamente a autonomia que Ducasse dá aos seus chefs, ou seja, ele usa uma das mais importantes ferramentas motivacionais de liderança que é delegar. Na verdade, quando se delega, a responsabilidade é toda do líder. Porém, ele deverá...