Coluna da Gilda

gilda_300x200Gilda Palhares  é graduada pela PUC-RJ em Comunicação Social e pós-graduada em Psicologia Positiva e Integração com Coaching pela Psi+ e AVM Faculdade Integrada e em Administração Empresarial pela UFF. Carreira desenvolvida durante 20 anos, na VARIG, atuando na área de RH em Educação Desenvolvimento. Especialista em desenvolver e ministrar programas de treinamentos comportamentais desde 2004 atua como consultora na Eduvir Consutoria.
A

Posts mais recentes


A Sessão Vai Começar – Rocketman

O longa mostra a trajetória de Reginald Dwight, nome verdadeiro de Elton John, um garoto tímido e brilhante vivendo uma infância dolorida sem amor dos pais onde a dor e raiva são semeadas. Ele atinge o sucesso ainda muito jovem seguindo o caminho das drogas, álcool e tendo que assumir a sua homossexualidade. Não conseguindo amar nem a si mesmo, chega ao fundo do poço emocional e físico, e buscou numa clínica de reabilitação a coragem para mudar. Na mesma semana que vi o filme Rocketman, assisti na Netflix um documentário da Brené Brown, Ph.D. em serviço social, pesquisadora da Universidade de Huston, professora e palestrante premiada, e autora dos livros “A arte da Imperfeição”, “Mais Forte do que Nunca” e “A Coragem de ser Imperfeito”. Fiquei tão encantada com o documentário que resolvi comprar o livro “A Coragem de ser Imperfeito” e logo na introdução do livro lembrei do Elton John. Brown define o que compõe uma vida plena. Para ela, viver plenamente quer dizer: “Abraçar a vida a partir de um sentimento de amor-próprio. Isso significa cultivar coragem, compaixão e vínculos suficientes para acordar de manhã e pensar que não importa o que fiz hoje ou o que vou deixar de fazer, eu tenho meu valor. É ir para cama à noite dizendo que sou imperfeito, vulnerável e às vezes tenho medo, mas isso não muda a verdade de que também sou corajoso e merecedor de amor e aceitação”. No filme Rocketman, Elton John mostra que é possível viver uma vida plena pois amor e aceitação são necessidades de todas as pessoas. A ausência de ambas e a...

Como foi o Congresso Internacional da Associação Americana de Desenvolvimento de Talentos

Na semana de 19 a 24 de maio de 2019, tive a oportunidade de participar do Congresso Internacional da Associação Americana de Desenvolvimento de Talentos (CIAACT), em Washington, D.C. Compartilho com vocês pontos importantes abordados por dois fantásticos “keynote speakers” que foram Oprah Winfrey e Seth Godin: Oprah Winfrey, apresentadora, atriz e empresária, foi convidada para abrir o plenário, no primeiro dia. Entra no palco dizendo: “O que eu sei é que todos nós, compartilhamos uma linguagem comum que é a verdade. Queremos viver a mais verdadeira expressão de nós mesmos. Devemos seguir as nossas intuições, focar em boas lideranças e estar a serviço dos outros. Ela salientou seu erro quando não prestou atenção à sua intuição, e escolheu líderes inadequados. Adepta ao lema “estar à serviço dos outros” enfatiza que existimos para oferecer nossos dons e talentos para os outros e que as oportunidades de servir acontecem através de pequenas e grandes ações. No final do encontro, o CEO da Associação Americana de Desenvolvimento de Talentos perguntou à Oprah se ela tinha uma visão otimista em relação ao futuro e a resposta foi: ”eu tenho uma visão otimista do potencial humano em relação à bondade transcendendo o lado negativo.” No segundo dia, foi a vez do escritor e empreendedor Seth Godin. Ele abre o plenário com a seguinte pergunta: “Você vai escolher fazer a diferença? ”. Destaca que, fazer um trabalho que gere interesse nas pessoas é o diferencial. Profissionais que trabalham com desenvolvimento de talentos devem fazer as mudanças acontecerem. Logo, “desenvolvimento é uma palavra bem diferente de treinamento” observou ele. “O treinamento acontece num momento específico, enquanto o...

A Sessão Vai Começar – As Duas Rainhas e O Gênio e o Louco

Assisti à dois filmes que ainda estão no circuito: “As Duas Rainhas” e “O Gênio e o Louco”. Também participei de um workshop na Associação Brasileira de Treinamento Desenvolvimento cujo tema foi “Encontro de Propósito” e coincidência ou não a matéria de capa da Revista Exame da semana passada foi sobre “A Força do Propósito”. Achei que seria uma boa oportunidade para abordar de uma forma concisa o tema “Propósito”. Os filmes contam histórias reais. “Duas Rainhas” relata o momento em que Maria Stuart retorna para a Escócia, sua terra natal, após o falecimento do seu marido, o Rei da França Francisco II. O objetivo de Maria é para recuperar o seu trono legítimo que estava sobre o domínio da Rainha Elizabeth I. “O Gênio e o Louco” conta a verdadeira história dos dois homens por trás da criação de um dos projetos mais ambiciosos que foi a elaboração do dicionário inglês de Oxford. Notoriamente, em ambos os filmes, é possível verificar o propósito de cada personagem. O Porquê é o centro de tudo, em seguida definimos o Como e depois O quê. Tudo começa no Porquê. Propósito é saber o porquê de escolher determinada profissão, desenvolver determinado projeto, se engajar em determinada atividade, ou seja, é necessário dar um significado ao Porquê. A partir disso, sabemos onde estamos e decidimos o Como e O que. O Porquê é o passo fundamental para todas as pessoas que desejam aprimorar os próprios talentos e ajudar os outros nesse mesmo caminho. O famoso escritor Americano Mark Twain escreveu: “Os dois dias mais importantes da sua vida são o dia que você...