Coluna da Gilda

gilda_300x200Gilda Palhares  é graduada pela PUC-RJ em Comunicação Social e pós-graduada em Psicologia Positiva e Integração com Coaching pela Psi+ e AVM Faculdade Integrada e em Administração Empresarial pela UFF. Carreira desenvolvida durante 20 anos, na VARIG, atuando na área de RH em Educação Desenvolvimento. Especialista em desenvolver e ministrar programas de treinamentos comportamentais desde 2004 atua como consultora na Eduvir Consutoria.
A

Posts mais recentes


Refletindo sobre o Trabalho em Equipe

Trabalhar sob pressão com colegas que pensam, sentem e vêem as coisas de maneira diferente pode ser estressante e produzir ansiedade. Se a situação persistir, aqueles que trabalham nestas condições provavelmente formarão crenças negativas que podem afastar as pessoas em vez de uní-las. Os tópicos abordados abaixo auxiliarão na construção de bons relacionamentos no ambiente de trabalho. Dessa forma, nos momentos em que houver divergência de pontos de vista, o foco estará na tarefa e não nos indivíduos envolvidos. ESPÍRITO COLABORATIVO  Ter um espírito colaborativo significa acreditar que mais coisas podem ser realizadas trabalhando em conjunto do que individualmente . É necessário perceber que não se pode fazer tudo sozinho, daí a importância de aceitar a colaboração de outras pessoas para melhor desenvolvimento das tarefas. Todos trazemos um conjunto de habilidades e experiências distintas, que quando combinadas geram potencial para alcançar o objetivo em equipe. RESPEITO MÚTUO  Respeito mútuo significa aceitar e valorizar o que os outros trazem para as relações interpessoais. À primeira vista, o que alguém contribui pode não parecer tão importante em relação a sua contribuição. O que os outros oferecem, no entanto, é uma expectativa de como a tarefa pode ser realizada – algo que você não poderia saber a menos que você os convidasse a compartilhar o conhecimento deles. Em todas as relações interpessoais existem múltiplas expectativas que precisam ser totalmente exploradas antes que qualquer ação seja tomada. O objetivo então é focar nos diferentes pontos de vista e não persuadir os outros a mudarem de ideia. Afinal de contas, você não pode mudar o que os outros pensam a menos que você primeiro...

Desvendando a Felicidade no Trabalho

O livro “Desvendando a Felicidade no Trabalho” (Unlocking Happiness at Work) de Jennifer Moss baseia-se em duas décadas de pesquisas científicas com entrevistas e estudos de caso. O livro procura desmascarar o mito de que a felicidade no trabalho é um desperdício. O livro apresenta sugestões de como a felicidade pode ter um forte impacto no ambiente de trablaho oferencendo um maior senso de propósito. A autora fala sobre como ser mais feliz e tornar os outros mais felizes através do poder de hábitos saudáveis, da inteligência emocional e de uma abordagem inovadora. O livro contém estudos de casos valiosos de empresas como The Body Shop, Misfit Inc., Zappos e Lululemon. De acordo com Moss, estamos com olhar errado em relação a felicidade. Na opinião dela, a felicidade é uma escolha que devemos conscientemente fazer todos os dias. Moss infere que a sociedade foi vítima de falsas ideias quando se trata de felicidade. Esta felicidade segundo Moss é: É intangível. Não pode ser alcançada. Não é algo que você deva perseguir. Quanto mais buscamos a felicidade, mais difícil fica obtê-la. Felicidade, na opinião de Moss, vem depois de você trabalhar na construção de aspectos como resiliência, eficácia, otimismo, esperança, gratidão e compaixão. Passamos muito tempo trabalhando logo deveríamos procurar maneiras de buscar a felicidade nos lugares que passamos a maior parte do nosso tempo. Ações mais simples, repetidas a cada dia, têm a capacidade de alcançar resultados favoráveis. Conectar-se com seus colegas e tentar conhecê-los melhor pode ajudar muito na construção de um ambiente agradável. Moss sugere que você use o horário de café para se socializar pelo menos uma...

A Sessão Vai Começar – Capitã Marvel e Suprema

No dia 8 de março celebrarmos dia Internacional da Mulher. É o dia para lembrarmos das conquistas sociais, econômicos, políticos e culturais da mulher. O dia também marca a importância de acelerar a paridade dos gêneros. Desta forma não poderia deixar de comentar dois filmes de gêneros diferentes que estão no circuito e que nos leva a refletir sobre mulheres que demonstram os seus pontos fortes desenvolvendo os seus talentos em prol de uma sociedade mais justa: Capitã Marvel e Suprema. Capitã Marvel é um filme de ficção científica onde a heroína é basicamente indestrutível, superforte e resistente. Ela também pode voar, ultrapassando a velocidade do som, ler mentes e usa os seus poderes para ajudar os menos favorecidos. Suprema uma história biográfica da vida de Ruth Bader Ginsburg, uma mulher engajada, que se forma em direito numa época em que poucas mulheres faziam um curso universitário. A vontade de fazer a diferença com o seu trabalho fez com que Ginsburg superasse as barreiras do preconceito contra as mulheres e tornou-se um símbolo da luta pelos direitos iguais. Ganhando reconhecimento quando é nomeada juíza da Suprema Corte dos Estados Unidos, pelo então presidente Bill Clinton. Escolhi abordar nesta sessão o estudo descrito no livro “Descubra os Seus Pontos Fortes” dos autores Marcus Buckingham e Donald O Clinfton. Este estudo feito pelo Grupo Gallup identificou 34 tipos de pontos fortes presentes nas pessoas. Escolhi 10 que podem ser identificados nos filmes Capitã Marvel e Suprema: 1.Significância: Quer que o seu trabalho possua um significado. 2.Ativação: Aprecia a ação pois é vista como o melhor instrumento de aprendizagem. 3.Comunicação: Comunica-se com maestria....