Coluna da Zilda Knoploch

foto_zildaZilda Knoploch, mestre em antropologia pelo Museu Nacional – UFRJ, pós-graduada em Marketing pela ESPM, especializada em temas latino-americanos – Harvard Summer School – USA. Autora do livro “A Ideologia do Publicitário”, sócia e presidente da Enfoque Pesquisa de Marketing, palestrante da Casa do Saber. Foi docente de Pesquisa de Mercado no mestrado e no MBA de Marketing do COPPEAD-UFRJ, nos MBAs do IBMEC-RJ, IAG-PUC e da FGV- RJ. Foi executiva de RH na Mesbla e no Grupo Tristão de Café, e de Marketing na Têxtil Avanti e na Gillette do Brasil. Ex-diretora da ESPM-RJ.

 

Curso Classes Emergentes

A nova classe C está fazendo o mercado se reinventar. Conheça seus hábitos de consumo e entenda como eles afetam o seu negócio com o novo curso online da Eduvir, indicado para todos os públicos:

Classes Emergentes
Este curso fornece um panorama sobre a história das classes A, B e C no Brasil, fala sobre as classificações econômicas e suas aplicações, explora o conceito da mobilidade social e formice dados sobre a nova classe média brasileira, incluindo comportamento, atitudes, hábitos e valores.
Veja o vídeo ao lado e conheça um pouco mais sobre o curso!

A

Posts mais recentes


Consumo – O que vem por aí?

O comércio e o consumo expressam muito mais do que aquilo que as pessoas desejam, do seu estilo de vida ou até mesmo do que compram. Eles são faces visíveis de muitos movimentos macroeconômicos internacionais que estão aí, do seu lado, há muitos e muitos anos e, às vezes, você nem percebe. Pense, aja, interaja e pesquise o que o seu cliente deseja para oferecer o que ele quer, na hora e do jeito que ele precisar. Assim, terá um consumidor fiel e pronto para se relacionar com sua marca em todos os momentos. Mas voltando a falar sobre como o desejo de consumo das pessoas expressa algo mais amplo, dou um exemplo bem recente. No último dia 16 de dezembro, a Apple, gigante mundial de tecnologia, realizou o lançamento do iPhone 4S no mercado brasileiro. Centenas de pessoas acotovelaram-se até altas horas da noite esperando os pontos de venda iniciarem a comercialização do novo gadget. Nos Estados Unidos, onde o lançamento foi feito dois meses antes, o telefone causou um verdadeiro alvoroço, correria e até briga na porta das lojas. Assim, seria previsível que o mesmo ocorresse aqui no Brasil, como, de fato, ocorreu. Por isso é que um dos grandes segredos das relações pessoa-marca é se preparar para conhecer e aproveitar as oportunidades. Não sei quantos iPhones 4S serão vendidos nos próximos meses, mas sei que serão muitos. E mesmo quem não comprou no dia do lançamento, vai comprar em breve. Essa é a essência do planejamento: pensar a longo prazo e antever, hoje, o que será sucesso no futuro. Mas o que vem por aí? O...

Você é comprometido?

Não, isso não é uma cantada. O que o seu chefe quer saber é se você veste a camisa da organização. Você adora seu trabalho e desempenha suas funções com eficiência, mas não aposta na empresa? Ou, além de gostar do que faz e ser reconhecido por sua competência, você admira a organização e sente que realmente faz parte do time? Acredite, a resposta pode fazer uma diferença incrível nos resultados da empresa. Tanto que está sendo lançada no Brasil uma ferramenta para medir o grau de envolvimento e comprometimento dos funcionários com relação às companhias em que atuam. O programa, chamado Employee Equity, também identifica os pontos que ameaçam o relacionamento entre os profissionais e a organização, indicando estratégias para solucionar esses problemas. A metodologia foi apresentada em agosto, durante o Congresso Internacional de Recursos Humanos, no Rio, e chega ao mercado nacional por meio de uma parceria entre a consultoria Enfoque Pesquisa de Marketing, com sede no Rio, e a norte americana Market Probe. Para avaliar a relação entre o profissional e seu empregador, são utilizados índices como remuneração, benefícios, perspectivas de crescimento, treinamento e equilíbrio entre vida profissional e pessoal. Os funcionários dão notas de 0 a 10 para definir como se sentem em relação a 80 itens (veja o quadro Para Refletir). Para validar a técnica, foi realizada uma pesquisa com 2 017 funcionários, em cinco capitais: Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. O levantamento mostra que apenas três em cada dez profissionais brasileiros estão envolvidos com seu trabalho e comprometidos com as organizações em que atuam. A maioria (51%) não...