Previna o Câncer de Pele

Previna o Câncer de Pele

Neste post do Previna o Câncer! Vamos falar sobre o câncer de pele.

O Câncer de pele é dividido em melanoma e não melanoma, sendo este último considerado a neoplasia mais frequente no Brasil (30% dos tumores diagnosticados em todas as regiões do país).

O câncer de pele não melanoma, apesar de sua alta incidência na população Brasileira, apresenta baixa mortalidade e altos índices de cura se diagnosticado precocemente e tratado de forma adequada. Os tipos mais comuns são os carcinomas basocelulares e os carcinomas espinocelulares. A exposição solar sem proteção e fora dos horários recomendados é a principal causa de câncer de pele não-melanoma. Para os anos de 2016-2017, são estimados pelo INCA mais de 175.000 novos casos da doença.

O melanoma representa apenas 3% das neoplasias da pele sendo considerado mais grave, quando comparado ao câncer de pele não melanoma, devido à sua alta probabilidade de desenvolver metástases (disseminação de células neoplásicas para outros órgãos e tecidos). Porém pode apresentar um bom prognóstico se diagnosticado nos estádios iniciais e tratado de maneira adequada. A estimativa de novos casos é de 5670, sendo 3000 homens e 2670 mulheres (2016 – INCA).

Podemos nos prevenir contra o câncer de pele com a adoção de algumas medidas no nosso dia a dia. Em primeiro lugar é importante termos conhecimento da existência de um grupo com maior risco de desenvolver a doença. Esse grupo é composto pelas pessoas com mais de 40 anos, olhos azuis ou verdes, pele clara, cabelos loiros ou ruivos, pessoas albinas e aquelas com histórico de câncer pessoal ou na família. A doença é relativamente rara em crianças e pessoas de pele negra, com exceção de portadores de lesões cutâneas anteriores.

Em segundo lugar é importante termos conhecimento dos sinais que podem indicar a presença de um câncer de pele. A avaliação periódica da nossa superfície corpórea (pele) e o monitoramento de lesões (ex.: pintas) existentes podem fazer toda diferença na hora de detectar qualquer irregularidade ou mudança de características das lesões pré-existentes. Vamos listar aqui alguns sinais de alerta: feridas na pele que demoram a cicatrizar (período maior que quatro semanas), variações na cor de sinais que já existiam, manchas que coçam ou sangram, surgimento de pintas com bordas irregulares entre outros.

Vou compartilhar com vocês uma regra simples, chamada regra do ABCDE, utilizada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, para reconhecer manifestações dos três tipos de câncer de pele: carcinoma espinocelular, carcinoma basocelular e melanoma. Lembrando que em casos de sinais suspeitos é indispensável procurar um médico especialista.

Assimetria: Assimétrico: maligno / Simétrico: benigno.

Borda: Irregular: maligno   / Regular: benigno.

Cor: Dois tons ou mais: maligno / Tom único: benigno.

Dimensão: Superior a 6 mm: provavelmente maligno / Inferior a 6 mm: provavelmente benigno.

Evolução: Cresce e muda de cor: provavelmente maligno / Não cresce nem muda de cor: provavelmente benigno.

Lembrando que NENHUM EXAME CASEIRO SUBSTITUI A CONSULTA E AVALIAÇÃO MÉDICA.

Em terceiro lugar e não menos importante, vamos citar algumas mediadas simples e eficazes para a prevenção do câncer de pele. A exposição aos raios ultravioleta em horários de alta radiação é apontada como a principal causa do surgimento da doença, sendo assim a exposição ao sol deve ser antes das 10h e após as 16h. Na praia, piscina ou em qualquer outro local onde haja exposição ao sol, utilize chapéus, bonés, roupas com proteção UV e guarda-sol (feito de algodão ou lona, evitar barracas de nylon). É essencial o uso de filtro solar com, no mínimo, FPS 30, contra radiação UVA e UVB no corpo e nos lábios. Reaplicar o produto a cada duas horas ou menos, nas atividades de lazer ao ar livre. Devemos utilizar o protetor solar também na nossas rotina diária de trabalho (aplicar antes de sair de casa pela manhã e antes de sair para almoçar). Eles ajudam a bloquear a ação dos raios solares. Também é importante a utilização de óculos escuros com filtro ultravioleta, que previnem lesõesoculares. Em relação aos profissionais que trabalham ao ar livre durante o dia, além dos cuidados básicos de proteção, devem usar camisas de manga longa, calças comprida, buscar abrigo na sombra e reaplicar o protetor solar na frequência indicada pelo profissional de saúde.

Não podemos esquecer de citar as câmaras de bronzeamento artificial que trazem riscos comprovados à saúde, e em 2009 foram reclassificadas como agentes cancerígenos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), no mesmo patamar do cigarro e do sol. A prática de bronzeamento artificial antes dos 35 anos aumenta em 75% o risco de câncer de pele, além de acelerar o envelhecimento precoce e provocar outras dermatoses.

Podemos concluir que com o conhecimento dos grupos de risco e principais sinais de alerta para o desenvolvimento da doença, aliado à adoção de medidas simples no dia a dia para a prevenção, podemos reduzir a incidência do câncer de pele e aumentar significativamente as chances de instituir uma estratégia terapêutica adequada precocemente com consequente maior chance de sucesso e cura.

Estou à disposição para esclarecer dúvida, responder perguntas e comentários.

 

Até a próxima!

 

 

 

 

 

 

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *